Diário de Daniele Bezerra



Embora não tendo muito tempo, (a correria continua depois de formada hein, até um pouco mais rsrs) acompanho a page "Mulheres na Engenharia" e vi um post da "Engenharia de Salto" (nosso nome antigo)... Achei um máximo, claro que agora sigo também! Muito bacana essa evolução de mulheres na engenharia e principalmente ganhando espaço e vencendo preconceitos. 
Gostaria de compartilhar um pouquinho com vocês sobre essa minha paixão. 
Se fosse contar realmente todos os detalhes ficaria muito extenso, então tentarei resumir... 

Tudo começou aos cinco anos... Tinha esse tamanho aí 

Fonte: Daniele Bezerra para Mulheres na Engenharia

Meu pai mestre de obras, vendo ele com projetos na mesa de cozinha mesmo (detalhe que nem alcançava) lhe perguntei: 
- Pai o que está fazendo? 
Ele me respondeu: - Filha estou analisando uns projetos para início de uma obra, que um engenheiro fez! 
Eu disse: - Noooossaaa que legal... Engenheiro?! Hummm quando crescer quero ser engenheira!!! Meu pai: - Nãoooo a filhinha do papai vai ser doutora, médica ou psicóloga! 
Eu de novo: - Nãoooo vou ser engenheira! 
E minha mãe: - Isso filha, vai ser engenheira sim! (Minha parceira, a única que desde o primeiro dia acreditou em meu sonho). A partir daí nada mais me faria mudar de ideia, ser Engenheira Civil é uma meta.

Aos cinco anos, difícil de acreditar, mas é verdade. Sempre me dediquei muito e fiz do meu sonho uma meta a ser alcançada. Aos 18 anos terminado o ensino médio, passei no vestibular para engenharia civil e ai começou a luta... Luta literalmente! Não tinha dinheiro nem para pagar a matrícula, conseguimos o dinheiro na noite do dia que antecedia o dia da matrícula, ufa' graças a Deus! Aí tive outras dificuldades, mas Deus foi sempre muito providente em minha vida. Quando iniciei não tinha Fies, a faculdade não obteve média, não consegui a bolsa institucional e nem a do Enem e remanescentes, vamos lá... 

Já sabia das dificuldades principalmente financeira, mas não imaginava o quanto. Fizemos empréstimos bancários, empréstimos com a própria universidade, tipo um crédito rotativo, fiz projetos de iniciação científica aí obtive uma "bolsa" que era mais ou menos 1/2 mensalidade, enfim, não deu ainda, era muito caro e não havia recursos para custear, precisei trancar a faculdade por 03 vezes alternadas, na primeira vez sofri muito, todos sofremos, mas bem nessa época fui presenteada com o melhor estágio da minha vida, trabalhei na indústria multinacional da Danone, nas obras de ampliações, depois conseguimos quitar e eu consegui retornar, nunca desanimei e em nenhuma das vezes voltei para a minha cidade natal, sempre fiquei onde estudava porque sabia que iria conseguir. Nas outras duas vezes uma delas me lembro com muita gratidão do meu noivo, meu pai e meu avô, o meu noivo também que sempre me ajudou, e até hoje é um grande parceiro (meu sócio) fez empréstimos também para que pagasse mensalidades, o meu pai que em uma dessa vendeu o carro, me deu uma parte e aí quitei o semestre e meu avô que também me emprestou dinheiro... 

Enfim, sempre percorri minha caminhada sem lamúrias e sempre trabalhando e estudando para também ajudar a me manter, meus pais e meu noivo me ajudavam também financeiramente com as despesas. 

Todas as vezes em que precisei adiar o meu sonho "adiar e jamais desistir" Deus sempre me surpreendia, falo muito de Deus porque Ele sempre foi meu auxílio, minha força em todos os momentos, até nos de prova (rsrsrs), sou muito nervosa e preocupada, isso até hoje com o meu trabalho. Sempre quis fazer o melhor e por isso tinha que concorrer com os melhores, tive oportunidades e agarrei-las com todas as minhas forças, quando fui fazer o teste na Danone, tinham quatro homens e eu, super normal, quando iniciei a engenharia não era tão visada por mulheres, enfim consegui a vaga feliz da vida (estagiei o período todo da obra 1 ano e 4 meses). Depois consegui estágio em um condomínio residencial de alto padrão, onde pude aprender muito sobre qualidade dos materiais (1 ano e 5 meses), depois na Caixa Econômica Federal (01 ano e 6 meses) e quando estava no final da faculdade retornei a Danone em um outro projeto (por 6 meses)... Como aprendi, com os profissionais mestres, pedreiros, arquitetos, engenheiros, enfim em todos os estágios. E aí meu sonho se tornou realidade.

Fonte: Daniele Bezerra para Mulheres na Engenharia

Ihhulll dia 13 de julho de 2013 que dia feliz, ah viu que sou a única mulher da turma rsrsrs uma turma super pequena, formamos em 8 eu e mais 7 colegas. 
Ah me emociono só de lembrar na minha felicidade e na felicidade da minha mãe querida e meu pai, meus irmãos, meu noivo amado, todos os familiares e amigos compartilhando daquele momento tão especial e esperado. 

Hoje meu noivo e eu somos sócios, temos uma empresa a ÁGAPE Engenharia, pensamos no nome porque a palavra remete bem como somos, simplesmente amo o que faço, e o faço de todo o meu coração e com toda a responsabilidade e seriedade que são necessários e ele aprendeu a gostar muito e temos uma grande parceria, a empresa nos fortaleceu ainda mais em nossos planos, em nosso relacionamento, em nossa fé. 

Meu noivo foi muito generoso porque não é a área dele especificamente (que é Sistemas de Informação), mas está dando tão certo, não vou falar que não há dificuldade, porque elas existem e sempre irão existir, mas temos que fazer delas "degraus" para vencer cada "lance" e chegar sempre aonde almejamos. Hoje sonhamos e realizamos juntos, a nossa meta na Ágape é "Projetando sonhos e construindo realidades" e como é gratificante ver a satisfação de um cliente, essa sim é a maior recompensa, vejo que fiz a melhor escolha e lembro que diariamente devo renovar o meu juramento cumprindo minha missão. 

Sou a engenheira civil mais feliz do mundo, não sou a mais rica rsrs mas tenho tudo o que preciso e ainda hei de conseguir, pois ainda há muito caminho a percorrer. 
Resumindo eu amo o que faço, sim valeu a pena e sempre valerá!

Fonte: Daniele Bezerra para Mulheres na Engenharia

Ah contando um segredinho hahaha meu noivo e eu já namoramos há 10 anos e 8 meses, tadinho ele não me enrola não, me esperou... Nós estamos de casamento marcado e o nosso ensaio pré-wedding será temático, ao passo que como trabalhamos juntos será bem legal, já temos umas idéias acreditamos que será em um local que tenha a ver com engenharia, uma ponte, ferrovia, sei lá... Iremos levar capacetes, trenas, etc... Para fazer algo bem legal, depois compartilho com vocês! 

É isso aí foco no objetivo, força para lutar e fé para vencer sempre... Grande beijo!

Daniele Chagas Bezerra 
Engenheira Civil - Pouso Alegre/MG




Gostaram? Quer ter sua história compartilhada aqui também e ajudar outras? Entre em contato ou mande um email para: engenhariamulher@gmail, retornarei o mais breve possível.