18/10/2017

Reestruturação Societária: Melhores Resultados em seu Negócio

Uma alternativa para quem deseja obter melhores resultados em seu negócio é a reestruturação societária, entenda.

Imagem Freepik
Muitas empresas do mesmo ramo não são concorrentes durante toda sua existência. Às vezes a busca por vantagens faz com que aconteça uma reestruturação societária para alcançar melhores resultados no mercado.
Existem três tipos de processo para que isso ocorra, a cisão, a fusão e a incorporação.

Os três nomes são denominados como estratégias econômicas para quem busca ingressar um novo nicho de mercado. Em certo momento surge uma necessidade de aumentar o campo de atuação mercadológico, e isso leva os empreendedores a estes tipos de reorganização societária.

De acordo com a Lei 6.404/1976, “a cisão é a operação pela qual a companhia transfere parcelas do seu patrimônio para uma ou mais sociedades, constituídas para esse fim ou já existentes, extinguindo-se a companhia cindida, se houver versão de todo o seu patrimônio, ou dividindo-se o seu capital, se parcial a cisão”. Ou seja, o processo de cisão ocorre quando uma pessoa jurídica decide dividir seu patrimônio com duas ou mais sociedades que já existem.

Pela mesma lei, a fusão é “a operação pela qual se unem duas ou mais sociedades para formar sociedade nova, que lhes sucederá em todos os direitos e obrigações”. O propósito aqui é o inverso da cisão, pois as sociedades se unem, formando uma nova e automaticamente extinguindo as companhias originárias, assim formando uma outra personalidade jurídica. Uma empresa que é criada a partir da fusão tem uma maior capacidade produtiva e detém de mais tecnologias, além da redução de custos.

A incorporação “é a operação pela qual uma ou mais sociedades são absorvidas por outra, que lhes sucede em todos os direitos e obrigações”. As sociedades incorporadas deixam de existir, mas a empresa incorporadora passa a ser titular de todo o patrimônio da sociedade.

As Vantagens de Unir um ou mais Empreendimentos

É preciso entender quais as diferenças, pois apesar de serem simples na teoria, na prática é mais complexa, dependendo do tamanho das empresas envolvidas. Existem inúmeras vantagens ao unir duas empresas para concluir um mesmo objetivo, como a diversificação maior de mercado, abrangendo não somente um único público alvo.

E com essa união de públicos há um aumento da abrangência da marca, isso ajuda no fortalecimento do negócio, aumentando as oportunidades de conversão de vendas. E com mais vendas e mais contratações o faturamento pode dobrar e a empresa continua se desenvolvendo, assim como ocorrem as reduções de custo.

Surgem também melhores condições de atuação, já que com a nova sociedade a empresa ganha um formato maior, com melhores perspectivas de mercado e com riscos reduzidos. Com isso as dificuldades diminuem e o crescimento é certo.

Realize o processo da melhor forma possível, faça acordos claros, defina a contribuição de cada empresa antes da sociedade se firmar. A comunicação deve ser aberta entre todos os colaboradores, para que não haja falhas e todos fiquem cientes das decisões que serão tomadas. E antes de tudo, defina responsabilidades para cada um dos envolvidos, isso permite um gerenciamento mais adequado e maior produtividade.

Antes de qualquer decisão é preciso buscar informações para tudo ocorra dentro da lei e sem grandes problemas, para as duas ou mais empresas que desejam formar uma nova sociedade. É preciso buscar uma consultoria especializada para o processo de constituição. 

Se gostou do artigo e também quer dar sua opinião, pedir uma matéria, opinar, deixar uma crítica...
Envie um email para engenhariamulher@gmail.com 




Jacqueline Gonçalo, formada em Comunicação Social com habilitação em Jornalismo pela UFMS (Universidade Federal de Mato Grosso do Sul). Atualmente atua na área de SEO de uma agência de marketing.